Ministro da Educação quer retomar educação moral e cívica

Que internet encurtou as distâncias entre as pessoas no mundo, é um fato mais do que evidente para todos. Mas uma realidade virtual como método de ensino é uma novidade para os brasileiros.

Um professor da Universidade de Pernambuco(UPE) ministrou uma aula da disciplina Gerenciamento Empresarial do curso de Administração pelo Second Live. Segundo o professor Otto Farias, a escolha dessa nova modalidade de ensino deve-se ao incentivo aos alunos em perceberem as dificuldades do uso de métodos como esse, pois para utilizar esta prática é necessário um mínimo de conhecimento em inglês e informática.

A educação é um fator de extrema importância para o crescimento dos jovens. Pensando nisso, o Governo do estado de São Paulo criou o Caderno do Aluno 2019, um material didático que iguala o ensino em todas escolas da rede estadual e ainda auxilia os jovens a estudar mais.

A apostila Caderno do Aluno oferece um excelente material didático aos alunos, fornecendo informações de ótima qualidade.

O idealizador conta também que os seus 22 alunos estavam vestidos com camisas da universidade(avatar) e se encontram na Ilha Recife, dentro do mundo virtual. Outras vantagens foram apontadas: “Estamos negociando a participação de um professor de uma universidade do Rio Grande do Sul e outro de uma instituição de Cascais, em Portugal. Se não fosse pelo Second Life, isso dificilmente aconteceria”.

O principal porquê apontado pelo acadêmico do uso da plataforma foi: “Com os avatares, temos uma percepção visual de nós mesmos, enquanto que por Messenger e Skype, que poderiam ser alternativas, isso não acontece. Assim, a aula fica menos monótona”.Eu acredito que a iniciativa é válida, mas principalmente no Brasil ainda falta muito para que essa prática se torne uma realidade. Tomo por exemplo eu mesmo, acho bem pouco provável que eu fique uma hora na frente do computador prestando atenção na aula, o meu computador têm muitas tentações que me fariam dar um ALT + TAB e mudar o contexto da minha atenção. Sim, falta cultura. Além de questões como primoramento da tecnologia, web 2.0, etc.

Porém eu fico feliz que já estamos com esse tipo de tecnologia, afinal quando aqueles filmes de ficção que eu vi quando era pequeno se tornarão realidade?

Outra iniciativa brasileira em utilizar o Second Life para esse tipo de propósito é a cidade do conhecimento, um projeto desenvolvido pela USP.

You Might Also Like
Deixe uma resposta